Review: Sleepy Hollow 2×01 – This Is War

SH - 2x01

Depois de um final de temporada tão espetacular como aquele, eu esperava algo tão incrível quanto neste retorno da série. Claro que atingir o mesmo nível de excelência daquela incrível season finale é algo raro, mas mesmo assim eu esperava mais do que uma apenas eficiente season premiere. Sim, posso dizer que foi um bom episódio e deu para introduzir o fio narrativo dessa temporada, porém faltou uma intensidade, uma atmosfera mais climática que conseguisse corresponder às expectativas deixadas pelos cliffhangers deixados no fim da temporada passada.

Além do fato de ficar abaixo do esperado, o episódio não nos apresentou nada de novo. Tudo o que teve de bom e ruim nesse episódio foi fruto do que já tínhamos visto anteriormente, como a química entre Ichabod e Abbie, as cenas absurdas, os conhecimentos de Ichabod sendo usados como solução para a maioria dos problemas, etc, etc e etc. Não me entendam mal, gosto de boa parte disso (se não gostasse teria abandonado a série), o problema é que eu esperava alguma coisa minimamente nova, algo que ao menos sugerisse que a série tem mais a que mostrar do que aquilo que já mostrou. Por ora, ficamos de mãos vazias quanto a isso.

Falando do que vimos no episódio em si, ele começou com os roteiristas pregando uma peça no espectador e “avançando” a história em um ano. Pra quem não está acostumado com esses recursos de roteiro, deve ter sido enganado pela direção e levado a acreditar que estávamos realmente vendo um FlashForward e provavelmente deve ter curtido a virada na história. Como eu já esperava que tudo aquilo fosse falso, achei um início de episódio um tanto alongado e até chato, justamente por não comprar essa idéia do FlashForward. No fim eu estava correto, o que apenas me incomodou ainda mais.

Pra não dizer que tudo nesse início foi uma perda de tempo, fomos apresentados à busca pela chave do purgatório, que permitia que uma alma saísse de lá sem que uma troca tivesse que acontecer. Como não caí na pegadinha do FF, estava bem óbvio pra mim que usariam ela para livrar Abbie do purgatório nesse episódio, então só restava saber para quê Moloch queria a chave, porque ele não teria esse trabalho todo para usá-la apenas para benefício próprio.

Inicialmente eu pensava que ele queria liberar o Peste e o Fome para começar o apocalipse na Terra, mas a série só tem duas temporadas e isso seria algo inviável de se fazer agora. Moloch apenas queria trazer um exército de demônios e causar um caos nosso de cada dia mesmo. Fiquei bastante interessado nessa trama e acho que veremos esse tal exército chegando à Terra antes da metade da temporada (que teve um aumento do número de episódio, agora são 18). Estou curioso para saber qual a diferença deles para as criaturas que vimos na temporada passada, assim como quero saber se esse exército será uniforme ou se cada um terá sua particularidade. Em suma, acho realmente algo com bastante potencial e torço para que seja bem explorado durante a temporada.

Finalmente resolvendo a maioria dos cliffhangers deixados no fim da temporada passada, vimos Ichabod saindo de seu caixão no melhor estilo Sleepy: com uma explosão! Isso é absurdo demais até para o padrão da série, mas admito que foi divertido de se ver. Se por um lado temos um absurdo “perdoável”, do outro temos algo que não consegui engolir. Vocês se lembram que Jenny sofreu um acidente de carro no final da temporada passada, certo? Então ela saiu de lá sem nenhum arranhão? Sem ter quebrado nada? Levou um pouco tempo para engolir isso, mas ok!

Se Jenny e Ichabod tiveram que apelar para o absurdo para se salvar de suas situações no mundo real, é irônico que a única saída completamente crível tenha sido para a situação de Abbie. Presa no purgatório, a tenente teve ajuda de Andy para tenta se comunicar com Ichabod. Ele a mostrou o covil de Moloch, o local que o demônio usa para se comunicar com o mundo exterior.

Com uma direção de arte admirável para os padrões televisivos (aliás, a parte técnica em si mostrou uma evolução considerável nesse retorno), o local foi palco para a melhor cena desse episódio: o reencontro de Abbie e Ichabod. É incrível como tudo na relação deles convence, até as frases mais clichês que foram ditas ali nos atingem como se nunca tivéssemos ouvido algo parecido antes. Tom Mison e Nicole Beharie são, de fato, o coração de Sleepy Hollow, e eu não consigo imaginar a série sem um deles.

Voltando à Terra, Jenny e Ichabod se encontraram, em uma sequência bastante divertida, e saíram à procura da chave que permitia com que Abbie saísse do purgatório sem que outra alma ficasse em seu lugar. Achei que eles encontraram a chave de forma muito rápida e muito fácil, contudo relevo isso, pois o importante aqui não era a busca pelo objeto, e sim a retirada de Abbie do purgatório.

Se a cena Ichabbie no purgatório foi a melhor do episódio, a cena do resgate de Abbie não fica muito atrás. Novamente apostando na conexão entre os dois, vimos um Ichabod e um demon-Ichabod disputando tanto Abbie quanto a chave. O duelo entre os dois me deixou confuso para saber qual tinha vencido, porém, ao ver que a primeira coisa mostrada após disso foi o punho de uma espada (uma forma sutil de dizerem “isso aqui vai ser usado”), imaginei que ou ele era o demon, ou que haveria uma luta ali com qualquer outra coisa. Eis que a primeira teoria se mostrou estar correta e que de fato ele era o demon, mas o que chamou mais a atenção não foi isso, foi a forma de como ele foi descoberto. Abbie e Ichabod já estão tão íntimos que até o modo da pronúncia das palavras acusou que aquele não era o verdadeiro Ichabod, e isso foi realmente tocante.

E Katrina, gente? Passa uma temporada inteira presa no purgatório para sair de lá e ficar presa com o Morte? É isso mesmo? As cenas dela e de Abraham nessa première foram quase desnecessárias se não fosse pelo motivo de que realmente tínhamos que saber o que aconteceu com ela. Estou cansado de vê-la como a frágil prisioneira! Quero vê-la chutando bundas logo, logo; seja do lado de Ichabod ou de Abraham. Antes de terminar de falar dessa parte da trama, quero dizer que ainda estou tentando entender que tipo de mente doentia imagina que uma cena de um cara sem cabeça e camisa era algo legal de se mostrar aqui.

Balanceando o que eu esperava e o que foi entregue, o saldo dessa première fica acima da média. Só espero que, agora que estabeleceram o que querem seguir nessa temporada, os roteiristas consigam se mostrar mais dinâmicos e ousar um pouco mais em suas escolhas e nos mostrar coisas novas. Claro que o que já conhecemos e amamos não pode -e nem deve-  ser deixado de lado, mas nada impede de acrescentar a essa mistura alguns novos sabores.

Observações:

– Mesmo com algum tempo no mundo contemporâneo, Crane não consegue se habituar a esta nova realidade. Incrível!

– Só que eu achei o fim do episódio meio qualquer coisa? Não imagino como aquela armadura possa ser um diferencial.

– Sei que isso foi só o retorno, mas não dava pra mostra o Irving não? Nem um pouquinho?

– John Noble continua matando a pau com seu Walternativo… Digo, com Henry.

– Promo do próximo episódio abaixo:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s