As 10 melhores atuações da saga Harry Potter

Harry Potter - Atuações

 

Como todos já sabemos, hoje, dia 15 de julho de 2014, completa-se três anos do fim da saga cinematográfica do mundo concebido por J.K. Rowling (ao menos aqui no Brasil), e para relembrar essa data vim com um top feito para relembrar as melhores atuações que tivemos ao longo de 8 filmes da série. Visando diversificar o top, escolhi analisar sobre o ponto de vista tanto artístico quanto sua proximidade com o personagem do livro, portanto não se espantem com algumas escolhas no mínimo peculiares. E lembrem-se de que é um top, ou seja, não é necessariamente um ranking. Dito isso, vamos a esse top!

Daniel Radcliffe – HP7.2

Talvez a escolha mais contraditória desse top seja essa atuação de Daniel Radcliffe. Teve um grande destaque quanto ao ponto de vista artístico? Não. Apresentou uma evolução considerável dos filmes antecessores? Também não. Mas, como protagonista da série, queria destacar o ponto onde ele ficou mais próximo de realmente comandar a história e de se aproximar mais do Harry que conhecemos do livro. Em HP7.2 não houve hesitação em Radcliffe, não houve imaturidade, ele tomou Harry para si, tomou o filme para si e conseguiu suportar toda essa pressão que havia sobre ele durante a última empreita de Harry nas telona.

Evanna Lynch – HP5

Quem conhece a relação entre Evanna e Rowling certamente sabe que, mesmo que ela não fosse uma Luna impecável como é, sua presença tinha que ser garantida aqui. Pra quem não conhece, Evanna era uma fã de Harry Potter, como qualquer um de nós meros mortais, só que se comunicava com a autora dos livros durante um período bastante obscuro de sua vida (Lynch sofria de anorexia), chegando até a pedir um papel em algum filme da série. Eis que, ironicamente, a garota é escolhida para o papel de Luna Lovegood e a interpreta com uma naturalidade poucas vezes vistas na saga. Se até a criadora da personagem diz que Lynch é perfeita para o papel quem sou eu pra discordar?

Jim Broadbent – HP6

Quando Broadbent foi escalado para interpretar Slughorn a primeira coisa que veio à minha cabeça foi “o quê?”. Não que ele fosse um ator ruim ou algo assim, mas fisicamente falando ele era um tanto diferente do Slughorn que eu imaginava enquanto lia os livros. Bastou 3 segundos em tela para Broadbent me convencer que ele tinha compreendido e captado o cerne do personagem, fazendo com que as diferenças físicas fossem completamente irrelevantes diante de tanta aproximação dramática. Além disso, o ator caminhou entre o cômico e o dramático de forma tão bem sucedida que seria impossível fazer um top desses excluindo sua presença.

Maggie Smith – Toda a série

Cá entre nós, Maggie Smith poderia entrar e sair calada do set de filmagens que figuraria aqui só pela sua presença de cena, imagina então fazendo uma personagem tão impactante quanto Minerva McGonagall? Olhando filme por filme, não há um destaque tão óbvio em sua atuação, mas abordando de um ponto de vista geral percebe-se que a atriz foi a que teve a segunda trajetória mais constante durante toda a série. A firmeza em sua atuação fazia com a personagem nos conquistasse mesmo com o pouco tempo que costumava ter em tela e, por isso, Smith merece uma presença neste top.

Emma Thompson – HP3

Vocês se lembram da primeira aula de Trelawney durante O Prisioneiro de Azkaban? Se sim, me deixem fazer um pergunta: o que vocês destacariam ali? Se sua resposta não for Emma Thompson eu começo a duvidar de seu caráter como pessoa! Brincadeiras a parte, aquela cena é um ótimo exemplo do porquê de ela estar figurando nesse top, pois conseguir imprimir o tom do personagem tão excêntrico em tão pouco tempo e ainda tornar essa excentricidade crível é algo digno de admiração.

 

Bonnie Wright – Toda a série

ERROR 404. Reason not found.

Hero Fiennes-Tiffin – HP6

Em menos de dois minutos esse garoto conseguiu se destacar diante de um elenco repleto de nomes grandiosos do Cinema pelo simples fato de ele conseguir fazer o que muitas crianças desses filmes de terrir terror nunca conseguiram fazer: meter medo. Seu olhar vazio e obscuro, sua dicção pausada e levemente ameaçadora tornaram essa pequena aparição em um dos momentos mais marcantes da série. Acho que até a versão adulta de seu personagem não chegou a se mostrar tão ameaçador quanto essa criança se mostrou nesta sequência.

Emma Watson – HP7.1

Com certeza vocês já ouviram falar em algum lugar que HP7.1 deveria se chamar “Hermione Granger e As Relíquias da Morte Parte 1”, e sabe porque eles estão corretos ao afirmar isso? Porque o filme é de Emma Watson de fato. Tudo bem que Hermione sempre manteve um destaque considerável durante os filmes (afinal, o roteirista da maioria deles afirmava que ela era sua personagem predileta), porém aqui ela garante o posto de protagonista e Watson nos envolve e emociona como não fez em nenhum outro momento da série. As cenas onde sua personagem é torturada, onde ela apaga a memória de seus pais e onde ela fala do quão doloroso foi esse momento resumem a capacidade que Watson teve de nos deixar um nó na garganta durante todo o filme.

Michael Gambon – HP6

Gambon sempre foi um ótimo ator e mesmo assim nunca havia conseguido se destacar como Dumbledore até a chegada do sexto volume da série cinematográfica. Há vários motivos para isso ter acontecido, mas como não irei fazer um anexo enorme explicando o porquê, basta resumir dizendo que ele não é tão importante em nenhum outro momento quanto é aqui, e que toda essa importância foi potencializada com Gambon marcando sua presença em tela com uma mescla de serenidade e urgência que deixa a atmosfera do filme ainda mais carregada do que ela já é.

Imelda Staunton – HP5

Aí você está lendo um livro, aparece uma personagem tão odiável que você se pega pensando que esse ódio por ela não poderia aumentar. Contrariando suas expectativas, a adaptação cinematográfica do livro coloca uma atriz que encarna tão bem, mas tão bem todas as chatices e “odiaveidades” da personagem que você se pega a odiando ainda mais. Staunton não só é perfeita como Umbridge, ela consegue piorar tudo o que já é naturalmente repulsivo da personagem. Perto dela, a do livro é tão fofa quanto Arnaldo.

Alan Rickman – Toda a série

Se lembram quando eu falei que Smith era a que tinha a segunda trajetória mais constante de toda a série? Pois bem, aqui se encontra a mais linear delas. Soando repetitivo mesmo, Alan Rickman é tão, mas tão perfeito como o professor de natureza dúbia que até o Snape de Rowling tem inveja dessa personificação dele. Seu modo calmo de falar quase sem mover os lábios, sua expressão sabiamente inexpressiva e até a raiva que ele expressa em certos momentos tornam o personagem ainda mais interessante do que ele é.

 

Chegando ao fim deste não tão humilde top, espero ter conseguido representar a variedade que o elenco da saga nos apresentou durante todos esses anos e que compreendam que não pude incluir outros atores como Ralph Fiennes (HP7.2), Kenneth Branagh, Toby Jones e Gary Oldman, apenas visando essa maior diversidade. Torço também para que tenha curtido o top, e sinta-se livre para deixar sua opinião nos comentários.

Espero vocês no ano que vem, onde, como bom fã de Harry Potter que sou, provavelmente farei outra postagem especial tentando manter essa série tão viva no coração de outros fãs quanto está no meu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s