Review: The Voice 6×09/10 – The Battle Rounds 1, Part 3 / The Battle Rounds 1, Part 4

The Voice - Season 6

A ascensão dos “whos”.

Desde quando vemos um participante entrando em um dos famosos e odiados combos das blind auditions o primeiro pensamento que ocorre é que eles não durarão nada. Porém desde a 3ª temporada alguns deles vem nos surpreendendo, como é o caso de Michaela Paige, Justin Rivers e Amber Nicole, que conseguiram chegar aos lives em detrimento de outros candidatos que receberam mais atenção da edição do programa.

Confesso que achei que Dani Moz completaria essa “cota” de candidatos whos dessa temporada até ser surpreendido por ver mais três deles conseguindo avançar na competição durante a segunda semana de batalhas, e embora tenha sido preciso o uso do steals para que eles conseguissem tal façanha, todos eles poderiam ter vencido suas batalhas sem qualquer problema porque teria sido algo merecido.

E antes de falar das batalhas mencionadas acima, irei falar das que vieram antes delas mantendo a mesma dinâmica proposta na primeira review das battles, colocando as batalhas por ordem de exibição em ambos os episódios. Vamos a elas.

#TeamAdam: Austin Ellis x Josh KaufmanHappy (Pharrell)

Quando vi esse pareamento não podia me importar menos com o resultado dessa batalha, pois nenhum dos dois havia realmente me conquistado nas audições e a escolha de uma música que não gosto só corroborou com a minha falta de interesse neste combate. Bom, continuo não me importando nem um pouco com Austin e ainda sinto certa rejeição pela canção, porém Josh me mostrou justamente aquilo que eu tinha sentido falta em sua blind e que o conselheiro bem observou: conexão com o público!

Foi incrível perceber durante toda a batalha que, por mais que Austin estivesse fazendo um trabalho decente, eu só queria ouvir e ver mais da incrível interpretação de Kaufman. Ele estava tão entregue de corpo, alma e voz que foi impossível não curtir esta identidade mais soul que ele injetava na música. Depois dessa batalha ele é um dos candidatos que mais me deixa ansioso pelas suas próximas performance.

#TeamBlake: Alaska & Madi x Audra McLaughlinWhen Will I Be Loved (Linda Ronstadt)

Antes de qualquer coisa, mais alguém ficou chocado com o fato de o Blake afirmar que esse foi um pareamento fácil porque elas são artistas country? Não era esse o técnico que pareava um country e outro não-country para eliminar este segundo?! Deixando o choque de lado, tanto Alaska & Madi quanto Audra tem vozes poderosas e tinham conseguido bastantes fãs em suas audições. Apesar disso vejo falta de harmonia vocal entre as duas primeiras e a segunda parece apenas entregar vocais poderosos sem parecer se conectar emocionalmente com a canção.

Durante a batalha o pensamento sobre Audra não só permaneceu como ela ainda conseguiu deixar de entregar os vocais poderosos que haviam me impressionado anteriormente (não que tenha falhado tecnicamente, só que ficou abaixo do que eu esperava dela), já a dupla conseguiu melhorar bastante a harmonia e se entregaram àquela performance com toda a emoção que tinham, portanto estava torcendo pela vitória delas. Porém a regra do “4 chairs” falou mais alto e Blake optou por levar Audra para o próximo round de battles. Não acho que a dupla merecia ter perdido, mas também não acho que elas mereciam um steal a essa altura dessa fase do programa (parecia que apenas Usher poderia usar este artifício), então todo o desespero e indignação de Adam soaram forçados demais para mim.

#TeamShakira: Deja Hall x Music BoxEternal Flame (The Bangles)

Eu estava bastante ansioso para essa batalha por dois motivos: o primeiro é que Deja fez uma de minhas blinds prediletas dessa temporada e eu gostaria de ver mais do seu trabalho, o segundo é que finalmente poderíamos presenciar a performance dessa cantora com um nome tão único, criativo e diferenciado como Music Box (ou “Miss Box”, como disse Blake). A escolha da música favorecia claramente a srta. Box, o que me deixou tenso porque achei que Shakira já estava dando sinais de que a escolheria, mas durante os treinos deu para perceber o crescimento de Deja tanto vocal quanto emocionalmente o que me fez pensar que essa batalha seria bastante acirrada, e posso dizer que estava certo ao pensar isso.

Tanto Deja quanto Box conseguiram se conectar com a canção e entregaram uma técnica diferente em relação à interpretação, pois enquanto a primeira fazia com que a música se adequasse à sua voz, a segunda fazia com que sua voz se adequasse à música e ambas essas opções são igualmente admiráveis o que fez com que a decisão da vitória fosse bem mais pessoal do que costuma ser, portanto a vitória de qualquer uma seria correta e digna, embora eu tenda um pouco à calma presente no timbre de Deja.

Shakira escolheu permanecer com Deja no seu time deixando que Usher usasse o seu primeiro steal em Music Box. Fico feliz de que a melhor batalha dessa temporada até agora tenha terminado com ambos os candidatos seguindo na competição e antes de terminar eu preciso falar que Deja foi tão fofa fazendo uma pergunta durante o treino e que usar “Music” ou “Box” como nome próprio de uma pessoa é algo bem estranho.

#TeamUsher: Madilyn Paige x Tanner JamesEverything Has Changed (Taylor Swift)

Será que Usher pesquisou o passado deles antes de coloca-los juntos em uma batalha? Porque não é possível que dois candidatos da mesma cidade e que estudaram no mesmo colégio e que (pasmem!) nunca se conheceram caiam na mesma batalha por pura coincidência. Coincidência ou não, esse pareamento resultou em um combate com bastante química entre aqueles que se enfrentavam, e o treino teve uma das poucas dinâmicas que realmente chamaram a atenção do início ao fim e mereceram o destaque que a edição do programa oferece a este momento.

O confronto em si teve alguns problemas vocais de ambas as partes, mas a entrega emocional deles foi tamanha que essas falhas foram perdoáveis diante de uma apresentação tão fofa e romântica quanto a que vimos. Aliás, foi tão romântica que, por mais que sinta vergonha de falar isso, admito que no final da apresentação eu não só achei que aconteceria como estava torcendo por um beijo!

Enfim, voltando a falar de música, os vocais de Tanner me agradaram um pouco mais do que a fragilidade apresentada por Madilyn, o que não fez com que eu considerasse a vitória dela injusta, no entanto me fez praguejar ainda mais os steals desperdiçados em Biff, Jake e Patrick na semana passada.

#TeamAdam: Dawn & Hawkes x Josh MurleyStuck In The Middle With You (Stealers Wheel)

Em uma avaliação superficial, aqui temos Dawn & Hawkes, um dos candidatos que foram mais bem sucedidos em vendas durante as audições, contra Josh Murley, um combado que parecia estar fadado ao esquecimento. Entretanto ambos haviam chamado a minha atenção, sendo a dupla por ter uma das melhores blinds dessa temporada e Josh por ter sido o áudio de um participante combado com mais execuções na minha playlist.

A música escolhida não ajudou nenhum dos candidatos e fez com que eles entregassem uma performance “apenas” boa e , ao contrário do que Adam achava durante os treinos, não foi Josh quem acabou sobrando na batalha, mas sim Dawn, cujo timbre não combinava com a canção (e não houve esforço algum de sua parte para qualquer adaptação) e ela não parecia estar minimamente conectada com a música, e como em uma dupla deve-se levar em conta o trabalho de ambos, a meu ver Josh venceu essa batalha com bastante mérito.

Porém estamos falando de Adam e esta dupla parece figurar entre seus favoritos e independente do que eles fizerem, o coach sempre os escolherá. Shakira usou o seu último steal em Josh e embora eu ache que ela poderia ter usado melhor em outro candidato, não posso dizer que ele não mereceu continuar na competição.

#TeamUsher: Bria Kelly x Tess BoyerPiece Of My Heart (Janis Joplin)

Sabe aquelas disputas que os combatentes nem precisam entrar em campo porque já sabemos quem irá vencer? Essa é uma delas. Tess podia entregar uma performance incrível e Bria ser um desastre que mesmo assim essa segunda sairia vencendo, e a prova disso que Tess entregou de fato uma apresentação impecável enquanto Bria teve alguns erros e mesmo assim venceu a batalha.

Sou fã de Bria, ela é uma das candidatas que já me conquistou de cara, no entanto é inegável dizer que Tess merecia bem mais vencer essa batalha do que ela. A presença de palco e os vocais de Tess foram tão perfeitos que eu até agora estou revendo a batalha para encontrar qualquer defeitinho que seja e não consigo encontrar nada, já Bria continua com ótimos vocais e é uma incrível powerhouse, no entanto, a rouquidão natural de sua voz, que funcionou tanto a seu favor na audição, aqui soou deslocada e, por vezes, forçada, (como naquele “Take It…” que vocês bem sabem qual é) fazendo com que esse pequeno detalhe colocasse a cheerleader à sua frente.

Blake usou seu último steal em Tess e não acho que ele saberá aproveitar todo o potencial da garota em seu time e já estou torcendo para que alguém use outro steal nela no próximo round de battles.

#TeamAdam: Cary Laine x Sam BehymerGive Me Love (Ed Sheeran)

Cary teve uma blind que ficou marcada para mim como “a decisão mais estúpida que alguém que virou quatro cadeiras já tomou” e Sam é aquela que sacrificou os vocais para mostra o estilo de sua voz, ou seja, eu não poderia me importar menos com essa batalha, ao menos isso até ver a escolha da canção e perceber que o Adam NÃO favoreceu a 4 chairs.

Por mais que ele tenha dito que essa música tirava as duas de suas zonas de conforto, isso não é verdade, pois Give Me Love está muito mais perto de um estilo indie do que country e, além disso, percebe-se que o tom da música é bem mais baixo do que o da voz de Cary e deu para ver nos treinos o quanto de dificuldade ela teria para fazer com que sua interpretação ficasse no mínimo decente.

Bom, apesar de seu esforço em tentar projetar sua voz em uma região mais baixa, Cary errava algumas notas nas transições entre os tons e sua performance foi irregular vocal e emocionalmente, já Sam controlou um tanto mais o estilo peculiar de sua voz e conseguiu compreender melhor o espírito da música, e embora eu prefira mais a voz de Cary, a vitória dessa batalha nunca saiu das mão de Sam.

O pior de tudo é saber que Cary perdeu sua batalha no momento em que escolheu o time de Adam durante as blinds, ou seja, por uma escolha estúpida e equivocada ela foi eliminada precocemente da competição. Fica a dica para os próximos artistas country: quando você conseguir fazer com que Blake vire sua cadeira, nem pense em escolher outra pessoa, vá para ele se quiser ter vida longa no reality.

#TeamBlake: Kaleigh Glanton x Noah LisEverything (Michael Bublé)

Esse pareamento me incomodou um pouco porque eu havia gostado das audições de ambos os candidatos e as chances de um deles não receber o steal era grande e a fraca song choice não contribuía em nada para as minhas expectativas estarem errada. Durante os treinos foi interessante perceber que, embora a escolha da música favorecesse mais Noah do que Kaleigh, era ela quem chamava nossa atenção com suas inflexões bem inseridas e que davam sua cara à canção.

Já no confronto, achei que Kaleigh decaiu um pouco e que Noah apresentou uma evolução considerável, fazendo com que ambos se igualassem e que a decisão de um vencedor para a batalha ficasse mais complicada do que parecia ser, mas concordo com a decisão de Blake de levar Kaleigh para a próxima etapa porque realmente acho que ela tenha mais chances de evoluir e de ganhar o público nas fases ao vivo.

#TeamBlake: Cali Tucker x Ryan Whyte MaloneyWhat’s Love Got To Do With It (Tina Turner)

#TeamAdam: Christina Grimmie x Joshua HowardI Knew You Were Trouble (Taylor Swift)

#TeamShakira: Kristen Merlin x Lindsay BruceTurn On The Radio (Reba McEntire)

Se no combo da semana passada deu pra sentir mais raiva do que o de costume pelo fato de elas terem parecido ótimas e algumas exibidas naquela semana foram mais competentes contra insônia do que um sonífero, aqui eu não senti isso em nenhuma delas.  As duas primeiras tiveram o resultado que eu esperava, já no terceiro embate eu esperava a vitória de Lindsay, pois ela me conquistou em sua audição e parecia bem mais comercial que Kristen, porém, naqueles segundos exibidos, Kristen pareceu ter ido melhor que Lindsay e sua vitória aparenta ter sido merecido.

#TeamShakira: Cierra Mickens x Emily B.Brave (Sara Bareilles)

Primeiro irei xingar a Shaki por esse pareamento por motivos de: não basta ser burra o bastante para criar uma batalha Jeremy x Clarissa? Tem que cagar na escolha de outra batalha também? E a produção também merece palmas por manter o suspense sobre se haveria um steal ou não nessa batalha. Revoltas a parte, era óbvio que essa batalha seria ótima porque essas duas cantoras foram dois destaques nas blinds e porque essa batalha teve um dos melhores treinos dessa temporada.

Cierra continuou mostrando toda a sua identidade durante a performance, embora isso lhe custasse por vezes a respiração. Emily continuou tão impecável quanto em sua primeira apresentação e mesclou vocais com emoção de forma fantástica, sem ter falhas notáveis. Eu estava bastante dividido e a única coisa que me fez concordar com a escolha de Shakira é que, caso Emily tivesse perdido e fosse para o time de Usher, ela teria sido subaproveitada, coisa que tenho certeza que Cierra não será. Fico feliz de que as duas tenham permanecido na competição e espero que elas consigam chegar aos playoffs sem grandes problemas.

 

Agora os times estão completos para o próximo round de battles e abaixo eu falarei de cada um separadamente, mostrarei seus pareamentos e  falarei sobre quem deve seguir na competição, colocando seus nomes em itálico. Quem não quiser spoilers é só pular esse final e comentar logo.

#TeamAdam: Kat Perkins, Jake Barker, Delvin Choice, Brittnee Camelle, Josh Kaufman, Dawn & Hawkes, Sam Behymer e Christina Grimmie.

Delvin Choice x Josh Kaufman
Christina Grimmie x Sam Behymer
Brittnee Camelle x Jake Barker
Dawn & Hawkes x Kat Perkins

A meu ver, Adam tinha o único time com os frotrunners claramente definido. São eles Kat, Josh, Christina e Dawn & Hawkes, ou seja, ele já ferrou com decisão de colocar dois deles juntos em uma batalha e dar de bandeja a oportunidade de Jake ou Brittnee seguirem em frente na competição. Mesmo com essa decisão estúpida, acho que ele ainda continua tendo um dos times mais fortes e tem chances de vencer novamente esse ano.

#TeamShakira – Dani Moz, Patrick Thomson, Clarissa Serna, Ddendyl, Deja Hall, Josh Murley, Kristen Merlin e Emily B.

Emily B. x Kristen Merlin
Clarissa Serna x Dani Moz
Patrick Thomson x Josh Murley
Ddendyl
x Deja Hall

Quando vi o time de Shakira completo a primeira coisa que pensei foi “ela não pode, em momento algum, colocar os homens juntos em uma batalha” e o que ela faz? Sim! Colocou os dois juntos só pra me contraria e já ter ao menos uma vaga inútil garantida nos playoffs (“ao menos” porque ainda há o steal e sabemos que ela não usa bem os seus) sendo que todas as mulheres têm bem mais potencial e popularidade que os homens. Seu time tinha grandes chances de se tornar uma ameaça real durante os lives, mas ela novamente toma estratégias equivocada e se sabota sem nem perceber.

#TeamUsher – T.J. Wilkins, Stevie Jo, Morgan Wallen, Melissa Jiménez, Music Box, Madilyn Paige, Bria Kelly e Cierra Mickens

Cierra Mickens x T.J. Wilkins
Bria Kelly x Madilyn Paige
Morgan Wallen x Stevie Jo
Melissa Jiménez x Music Box

Com exceção de T.J., o time de Usher me agrada completamente e é o que chega mais forte ao segundo round de battles, e sendo assim suas batalhas foram as mais difíceis de arranjar um “pré-vencedor”. Mesmo que eu não veja tantos problemas nos pareamentos, Bria x Madilyn me incomoda um pouco porque elas são tão distintas que não consigo ver uma escolha que não favoreça uma delas. Espero que ao menos 2 artistas daqui recebam um steal.

#TeamBlake – Biff Gore, Jake Worthington, Sisaundra Lewis, Megan Rüger, Audra McLaughlin, Tess Boyer, Kaleigh Glanton e Ryan Whyte Maloney.

Biff Gore x Sisaundra Lewis
Jake Worthington x Tess Boyer
Audra McLaughlin x Megan Rüger
Kaleigh Glanton x Ryan Whyte Maloney

O time que tinha começado como o mais forte durante o primeiro round de battles me decepcionou e agora apenas Sisaundra, Tess (que será desperdiçada aqui) e Kaleigh chamam a minha atenção aqui, mas aposto que Blake ainda ferrará com as escolhas deles e, com exceção de Sisaundra, não consigo ver ninguém garantido nos playoffs. Sinto que mais uma vez o “Blake Power” falará mais alto do que o talento de seus artistas e o seu time será empurrado, no mínimo, até o top 8.

 

Com uma segunda semana de batalhas melhores que a passada, as esperanças quanto ao reality não chegaram a reaparecer, mas ao menos não está tão abaixo do nível que estamos acostumados e já fica a torcida para que esse segundo round de battles surpreenda e faça com que a extinção dos knockouts não prejudique tanto o andamento do reality quanto eu acho que irá.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s