Review: Helix 1×07 – Survivor Zero

Helix 1x07
“Que belos olhos prateados você tem”

O que fazer quando um episódio é coerente, não tem exageros e que desenvolve bem aquilo que propõe não empolga? Tudo estava onde devia estar, tudo aconteceu no momento certo e mesmo assim a série não consegue fisgar o espectador. Falta um “coração” em Helix, pois não há nada com que faça o público se apaixonar pela série, seja pelo carisma de seus personagens, pela inteligência da construção de sua trama ou por qualquer outra coisa que a destaque positivamente de tantas outras opções que a TV nos oferece atualmente. Ela soa genérica e dispensável, apenas como um passatempo esquecível.

Deixando minhas reflexões sobre a série num geral de lado, “Survivor Zero” foi um episódio bastante especial para os brasileiros. Descobrimos, em uma péssima cena, que Balleseros é brasileiro e isso é errado de tantas formas que não sei por onde começar. O principal fator que contribui pra isso ser um erro gigantesco é: havia mesmo a necessidade de revelar que ele é brasileiro? Sua nacionalidade altera (ou alterará) algo no enredo da série? Honestamente, essa gratuidade na revelação me ofende mais do que o fato do “brasileiro” (ninguém é brasileiro com um sotaque daqueles) ser um crápula. Fora isso, não tenho muito do que reclamar das decisões do roteiro nesse episódio, pelo contrário, só tenho elogios.

Marcando o início da nova Helix que “Aniqatiga” havia sugerido, a série está decidindo acelerar o desenvolvimento de suas tramas e deixar tramas inúteis de lado para focar no que realmente importa. Por exemplo, se a série estivesse seguindo o modelo apresentado nos 5 primeiros episódios, nunca que Anana e Sergio chegariam na base tão rapidamente, ou então que perderiam uma oportunidade de fazer com que Alan e Sara tivessem uma longa e emocionante “DR”.

Essa mudança de ritmo coincidiu com a chegada da Dra. Sutton, que já é minha personagem predileta da série. Sempre vim reclamando que faltava à série alguém para torcer, para se identificar, odiar… Enfim, criar alguma relação entre público e personagem, e nada melhor para criar uma relação dessas do que um bitch, correto? Afinal, esse tipo de personagem chega mandando e desmandando, passando a perna em todo mundo e ainda tenta se fazer de boazinha. Como não amar uma personagem assim?

Como toda bitch que se preze, Constance já chegou transformando o Dr. Hateke, Rei mor dos segredos que habitam a Terra, em um ratinho amedrontado, tomou controle daquela base, mostrou que também é portadora dos olhos prateados e destruiu a minha teoria de que o fato de a CDC estar ali é algo planejado. Sobre os olhos prateados eu não sei mais o que pensar, pois desconfio que Dra. Sutton não tenha sido uma vítima do vírus e não tenho ideia de qual sua relação com os vetores.

Já que estou falando de olhos prateados, preciso falar sobre Julia, que ganhou junto com a cura o belo par de olhos prateados e, embora a cor esteja na moda, ela traz consigo uma fotossensibilidade que causou certos problemas de visão para a Dra. e, assim como Hatake fez anteriormente, ela conseguiu repelir um dos vetores apenas com o olhar. Repito, não faço ideia de qual seja a relação entre isso, porém tenho certeza de que se trata de uma situação de subordinação a um superior, tenho mais certeza disso após o diálogo sobre poder que Constance e Hiroshi tiveram.

Voltando a falar de Balleseros, ele e Anana, como eu disse anteriormente, chegaram à base em um tempo bem menor do que eu pensava que fariam, e esse acontecimento levemente antecipado resultou num encontro romântico insosso com Sutton por parte do “brasileiro” e em uma reunião familiar peculiar por parte de Anana. O segundo encontro, apesar de ter sido ilustrado por momentos mal atuados, é mais interessante e relevante que o primeiro, mas por enquanto só colocou Aerov contra o Hatake e fica na promessa de nos apresentar melhores momentos.

Chegando à metade de sua temporada, Helix parece ter encontrado a melhor forma de desenvolver sua trama, só temo que tenha sido tarde demais, pois após alguns episódios vazios emocionalmente, fica difícil se importar com que vai acontecer a essa altura.

Observações:
– “Expiritcho Samtcho” ¬_¬
– Cadê a Jaye, gente? Bem que poderiam trazê-la como alguém real só pelo schock value.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s