Review: Helix 1×05 – The White Room

Helix 1x05
Se nos episódios anteriores eu falei que a série estava entretendo apesar da irregularidade, infelizmente nem entreter esse episódio conseguiu. Helix continua defendendo seu posto de maior decepção que já tive com uma série e nos oferece um episódio sonolento, com uma direção porca e onde a trama avança, mas a série dá vários passos para trás. O curioso é que ela erra ao tentar (ingenuamente ou não) acertar.

Durante todo o episódio, a direção e o roteiro nos tentaram fazer compreender e nos importar com os personagens e é de fato uma tentativa válida caso não fosse tratada de forma tão pobre. A direção pecou em não tentar, em momento algum, aproximar o público do personagem, o roteiro não conseguiu tornar os personagens mais verossímeis ou a história mais atraente e o elenco parece estar apenas ditando o que está no roteiro sem ao menos tentar interpretar o que está ali. Para ilustrar melhor isso, serei mais específico no restante da review.

Começando pela continuação da morte da única personagem que eu simpatizava na série, toda a raiva que Alan sentiu pela morte dela soou forçada e o ator não ajudou nada nisso. Vejam bem, em nenhum episódio vimos uma relação próxima entre os dois personagens, sequer uma relação profissionalmente próxima, portanto tal reação emocional por “justiça” seria mais compreensível caso fosse a morte de Sarah ou de Julia (ou até de Peter). Essa revolta ao menos serviu para finalmente descobrimos o que era o famigerado “The White Room”.

Citado no piloto por Peter, o tal “The White Room” me fez criar algumas teorias mirabolante sobre o que seria esse lugar, mas nenhuma chega perto da inesperada (e fraca) solução encontrada pelo roteiro da série. Quer dizer que o The White Room é nada menos do que o próprio Ártico? Sério? Esse mistério todo para uma resposta tão ridícula quanto essa é nada menos do que canalhice dos roteiristas.

Essa resposta que obtivemos gerou um “jogo” mais aberto entre Alan, Balleseros e Daniel, “jogo” que foi responsável por uma investigação pouco instigante que resultou em momentos de confrontos diretos entre eles. Vimos Balleseros atacando Alan e Daniel, sendo que este segundo fez um contra-ataque que sugere mais uma morte na série. Não acho que o Major tenha morrido ali, pois mesmo para uma série tão decepcionante quanto Helix, a decisão de matar um personagem por episódio é muito extremista e desesperada, aposto que ele sairá dessa situação rapidamente e continuará revirando aquela base de pesquisas por um bom tempo.

Outra resposta que obtivemos foi se Walker já havia visitado aquela base anteriormente. A dúvida criada pelos rabiscos na parede não passava de alucinações causadas pela infecção que a inflige, o que resulta em mais uma decisão ridícula dos roteiristas. Como eles preferem dizimar quaisquer chances de aproveitamento de uma trama promissora só para ficar dando voltas? Que tipos de roteiristas são esses?

Uma decisão tão ridícula que afetou até uma personagem que eu achava promissora: Jaye. Eu esperava (e preferia) que ela fosse uma daquelas personagens que aparecem nos 48 minutos do segundo tempo e sabem de tudo enquanto não se sabe nada sobre eles, mas não, ela também não passava de uma projeção das alucinações de Walker. Mais uma vez o potencial sendo desperdiçado em prol do estacionamento da trama da série.

Sarah foi outra pessoa prejudicada nesse episódio, pois por mais que a atriz defenda a personagem com toda a dignidade que consegue reunir (algo louvável diante de um elenco preguiçoso), o roteiro pouco a ajuda, criando uma personagem inconsistente e até incoerente, em certos aspectos.

A trama do “você guarda meu segredo e eu guardo o seu” com a Dra. Rae, que foi a única que não chego a me irritar nesse episódio, teve sua finalização aqui. Após tentar infectar Sarah em seu primeiro e único surto causado pela doença misteriosa, Van Eigem decide cometer suicídio, o que resultou na melhor e mais tocante cena de todo o episódio.

Acrescentado mais algumas dúvidas (Quem é Dr. Hvit? Para que serve a cabeça dele?) à sua já extensa lista de perguntas, a série derruba bastante o já fraco nível apresentado por ela entregando um episódio fraco e repleto de inconsistências. Está cada vez mais difícil acreditar em Helix, principalmente porque nem a série parece acreditar em si mesma.

Observações:
– Peter sendo essencial no episódio, como sempre;
– Hatake e seu blá blá blá não me chamou a atenção;
– Espero que as próximas respostas sejam realmente decentes e não no nível covarde e incoerente daquelas que foram apresentadas aqui;

Anúncios

3 comentários sobre “Review: Helix 1×05 – The White Room

  1. Teu ponto de vista é até interessante, mas não concordo plenamente com todos os aspectos citados por ti. Fato, que esse episódio não foi bom quanto esperava. Agora, falar de modo geral que a série tem sido incoerente e covarde,acho que já ta exagerando um pouco… A série ta no começo, e tem muita coisa pra ser apresentado. Tem uma premissa muito boa e ta sendo legal acompanhá-la. Acredito, que ela venha a melhorar depois desse episódio..

    • Quanto à covardia é porque sinto que a série teme dar respostas e espantar seu público, o que me incomoda bastante, já sobre a incoerência não falo da série no geral, mas sim de suas “respostas” que simplesmente não condizem com o que foi nos apresentado anteriormente, ao menos pra mim. Anyway, às vezes eu gosto de exagerar mesmo HAHA

      Obrigado por comentar, Romulo. Espero que tenha gostado da review.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s