Review: Sleepy Hollow 1×10 – The Golem

Sleepy Hollow 1x10
Um fraco episódio antes do hiato

Antes de um hiato, a meu ver, uma série teria que exibir um episódio incrível por si só e com um gancho mais incrível ainda que nos deixasse esperando ansiosos pelo próximo episódio e não foi o que aconteceu aqui. Foi um bom episódio, teve um bom desenvolvimento e o cliffhanger até foi interessante, mas nada no nível dos episódios anteriores e muito menos no nível que eu espero de um episódio antes de um hiato. Mas, felizmente, essa foi a única coisa que me incomodou no episódio (que se deve mais a um erro de cronologia do que ao episódio em si) e, como eu disse anteriormente, foi um bom episódio e os 40 minutos valeram a pena.

Dando seguimento à trama do filho de Crane, o episódio trouxe o Devorador de Pecados de volta para ajudar Ichabod a saber o que aconteceu com seu filho. Esse retorno do Devorador de Pecados elevou bastante minhas expectativas para o episódio, por dois motivos: o episódio da primeira aparição dele é um dos melhores da série e porque quando John Noble entra em cena já sabemos que terá um show de atuação. Não foi um dos melhores episódios da série, mas teve sim um show de atuação por parte de Noble.

É incrível a presença de cena que esse ator tem, a cada momento em que ele aparece em cena, o ator rouba a atenção e consegue imprimir um ar de poder e insegurança no personagem que, embora sejam duas coisas quase antagônicas, fazem deste personagem um dos mais completos (e complexos) da série.

Falando mais especificamente do filho de Crane, fico feliz de que tenham explicado de forma satisfatória o fato de Ichabod não ter sabido de sua existência até agora, afinal seria estranho Katrina ter esse filho enquanto ele estivesse vivo e ele não tivesse desconfiado de nada. Vimos que ela estava sendo ameaçada pelo seu clã para entregar a localização de Ichabod e entregar Jeremy (o filho) e que foi só aí que ela fugiu para o Solar Fredericks para dar luz a Jeremy.

Após o parto, ela fugiu novamente, mas deixou um “amiguinho” especial para seu filho: um boneco que cuidaria dele enquanto ela estivesse longe. Fiquei me perguntando o tempo inteiro sobre qual criança se sentiria protegida por um boneco daqueles, gente? Aquilo é uma das coisas mais assustadoras que eu já vi, e não estou falando apenas do que vi na série.

Assim como Katrina disse, aquele boneco realmente cuidou dele enquanto ela estava longe, mas não na forma de boneco e sim na forma de uma criatura conhecida como o Golem que o protegeria quando ele se sentisse ameaçado. Por causa dessa criatura, Jeremy foi perseguido por um clã conhecido como “as quatro que falam como um” que prenderam o Golem no purgatório e pararam o coração de Jeremy. Esse “parar o coração” deixou um caminho aberto para dar play nele novamente e trazer Jeremy à trama novamente, só que nos dias atuais. E prefiro que isso aconteça na próxima temporada e não nessa, pois acho que é melhor encerrar as tramas que inseriram durante essa temporada do que inserir novas tramas e ir com várias delas em aberto para a próxima.

O Golem estava preso no purgatório até Crane conversar com Katrina e trazê-lo de volta ao mundo real, fazendo com que ele tentasse proteger um Jeremy “inexistente” e matando pessoas que tinham ligação com aqueles que fizeram mal (ou tentaram faze mal) a seu protegido, causando uma série de assassinatos que fizeram com que Ichabod procurasse a ajuda das “Quatro que Falam Como Uma” para destruir este ser, o que resultou naquela que foi a melhor cena do episódio.

Incrível como tudo funcionou nessa cena! Quando falavam das “Quatro que Falam Como Uma” eu jurava que elas falariam em uníssono e seria a coisa mais sem graça do mundo, mas quando elas apareceram a dinâmica apresentada foi de encher os olhos. Com cada uma completando o que a outra falava de forma bastante sinistra, essa sequência além de nos trazer respostas, trouxe todo um clima sombrio e sobrenatural de uma forma que já não víamos desde seus 3º episódio e que já estava fazendo falta na série.

A resolução do episódio foi bem preguiçosa e eu nem vou demorar nisso, pois não estou achando que ainda vale a pena reclamar de algo pela 9ª vez seguida e porque o restante do episódio chamou mais atenção do que isso, já que finalmente Moloch em pessoa (?) voltou a aparecer na série! E com um diálogo que sugere uma reta final de temporada sem fillers (além de uma presença mais física de Moloch), descobrimos que ele fará de tudo para chegar até Abbie e tentará levar sua alma.

Com um cliffhanger que traz Abbie novamente ao centro da trama (pois, cá entre nós, ela estava sendo usada mais como um acessório do que como qualquer outra coisa), a reta final se desenha com uma previsão de Fim dos Tempos que provavelmente não deve nem começar a se concretizar, mas que nos garantirá mais do entretenimento de boa qualidade que Sleepy Hollow nos vem oferecendo episódio após episódio.

Observações:
– Os demônios estão atrás da Rue filha do Capt. Frank e eu não abordei isso na review porque só foi inserido e não desenvolvido, mas espero algo bom vindo daqui;
– Além disso, qual seria a relação de Frank com aquele padre? Parece que não é apenas a “simples” relação entre padre e fiel;
– Finalmente Abbie e Crane usaram penteados diferentes \o/;
– Campanha #JohnNobleFixo;

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s