Review: Grimm 3×07/08 – Cold Blooded / Twelve Days Of Krampus

Grimm 3x07
Encerrando 2013 com grande estilo.

Exibidos na mesma noite, os episódios foram um bom acréscimo a esta que, até agora, está sendo a melhor temporada da série. Enquanto o primeiro, apesar de cair consideradamente no final, é apenas um bom caso da semana, o segundo é um dos melhores episódios da série. Vamos às impressões dos episódios.

O 3×07 trouxe um caso onde estava sendo investigado um furto seguido de assassinato, este sétimo episódio da temporada começou de forma bastante promissora, com uma sequência inicial para ninguém por defeitos e com um caso que se diferenciava da maioria por já sabermos quem era o culpado. Uma pena que durante seus 10 minutos finais os roteiristas tenham jogado tudo para o alto numa tentativa falha de surpreender o espectador.

Falha sim, pois a aparição do primeiro irmão pode ter sido interessante, mas a do 3º foi tão cômica e equivocada que retirou todo e qualquer efeito que a primeira surpresa teria. E, falando nisso, colocar Hank como sequestrado foi outro tiro no pé, afinal alguém realmente se importa com um personagem sem carisma algum que não faz absolutamente nada na série? Já passou da hora dos roteiristas tentarem criar algo substancial para nos importarmos com ele, e mesmo que criem, o personagem já está tão esgotado que não creio que funcione, é melhor mesmo eliminá-lo o mais cedo possível.

Ainda permanecendo nas falhas, a cena onde acompanhamos a resolução do caso foi um erro. Além das surpresas que não tiveram impacto algum, o clima não funcionou, a edição apostou em cortes rápidos onde ficamos sem compreender o que estava acontecendo e infelizmente não pudemos aproveitar completamente de uma das raras vezes que Nick deixou o seu “lado Grimm” se sobressair ao do policia. Uma pena!

Mas como eu disse anteriormente, o caso não foi de todo ruim. Elogio tanto as cenas dos assassinatos, que foram tensas e violentas sem serem gratuitas e/ou apelativas, como também os momentos da investigação, que foi uma das mais orgânicas e bem fluídas que a série já teve! As cenas dos túneis após a morte da segunda vítima, por exemplo, foram tensas e divertidas, enquanto a sequência onde vemos Nick usar sua super audição (algo que está sendo muito bem utilizado, diga-se de passagem) nos lembram do quão ótimo o desenvolvimento dessa série é.

As coisas em Vienna andaram a passos lentos e o que vimos aqui foi Sean encontrando-se com o pessoal da Resistência e os vendo torturar o suposto traidor que contou o lugar onde ele e seu parceiro estavam. Digo “suposto” porque, apesar dele parecer realmente ser um traidor, desconfio de que quem entregou Sean foi Sebastien e não aquele moço avulso (se bem que Sebastien é avulso, mas enfim…), mas vamos esperar e acompanhar o desenrolar dessa história.


Chegando aquele que é facilmente o melhor da temporada, no 3×08 tivemos um especial de natal com uma espécie de papai noel do mal, uma ideia que já está bastante saturada, mas que aqui nos foi apresentada com bastante criatividade e do melhor jeito que a série poderia fazer.

Aqui conhecemos Krampus, que é o tal papai noel do mal, um wesen que sequestra as crianças (e por “crianças” compreende-se qualquer ser menor de 18 anos,) que foram “mal comportadas” durante o período que precede o natal. Todas essas crianças são devoradas pelo wesen à meia-noite antes do solstício de inverno e após essa data a criatura some, deixando a impressão de que ele não é um wesen comum e sim um espírito ou uma aparição.

Explicado o que é a tal criatura, falarei da construção do caso, que foi tão bem construído quanto toda a mitologia desta criatura. Desde a primeira cena da investigação o episódio tenta colocar na cabeça do público a ideia de que o culpado é um papai noel qualquer que está nas cenas perto do local onde ocorreram os ataques, e o faz de forma bem sucedida, pois até sabermos que Krampus existe, desconfiamos de que o culpado é realmente um papai noel “qualquer” na rua.

Até a resolução do caso, algo que tenho reclamado bastante nessa temporada, foi ótima, mostrando que o vilão na verdade não é o wesen em si, mas o woge. Além disso, vimos Nick quase se transformando em zumbi novamente o que me agradou e desagradou, pois apesar de ser ótimo mostrar que eles não se esqueceram disso, estão mordendo e assoprando isso faz um bom tempo. Ou mostrem o que vocês querem mostrar ou parem de fazer isso de uma vez por todas, dizer que cada vez que isso acontece com ele é porque ele está sendo tomado por um ódio gigantesco é, a meu ver, forçar a barra com o espectador.

Fora o ótimo caso da semana, vimos a continuação da trama em Vienna que dessa vez sim foi importante e considerável. A chegada de Tavitian na reunião da Resistência foi marcante, tanto pela forma como ele matou os integrantes da organização Verrat quanto pela personalidade que o personagem mostrou logo nos primeiros segundos de contanto com o restante do grupo. Parece que ele será importante daqui pra frente, já que entrou em um acordo com Sean. Vamos esperar suas futuras aparições. Quanto ao restante dos acontecimentos em Vienna, Renard marcou um encontro com Adalind, encontro este que será bastante intenso, pra dizer o mínimo, afinal, quando um encontro entre esses dois foi calmo?

Ainda tiveram as partes desnecessárias da trama, como a aparição de Bud e o drama do Natal entre Monroe e Rosalee. Por favor, não me entendam mal, curti bastante ambas as tramas, o fato de ser desnecessário não as tornou ruins, pelo contrário, quando se é capaz de saborear até com a parte mais desnecessária do episódio significa que ele realmente foi incrível!

Falando mais do drama entre Monroe e Rosalee, foi interessante ver o primeiro conflito entre eles e minha simpatia pelo casal é tanta que torci para que nenhum ficasse chateado com o outro só porque um queria fazer com que o outro se sentisse bem. Foi fofo e emocionante na medida certa e certamente deve ter feito os fãs do casal (eu \o/) ficarem falando “awwwnnn” a cada desenvolvimento que acontecia da mesma.

E com ambos os episódios, mas principalmente com o 3×08, Grimm se despediu de 2013 com grande estilo e nos fazendo ansiar pela continuação da trama, que promete trazer episódios ainda mais completos durante essa segunda metade da temporada.

Observações:
– Wu está ofuscando Hank de todas as formas possíveis, porque não o fazem logo “substituir” o posto desse segundo?;
– “Decaptare. I like that” me too, Nick;
– É tão interessante ver Nick escrever seu próprio diário, espero que num (distante) fim da série eles mostrem os futuros grimms usando esse diário em um flash forward.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s