Review: Supernatural 9×01 – I Think I’m Gonna Like It Here

SPN - 9x01

Supernatural inicia muito bem uma temporada que tem tudo pra ser a melhor

Após duas temporadas que não merecem ser lembradas, Supernatural voltou a boas formas com uma ótima 8ª temporada, que foi encerrada com o melhor cliffhanger da série desde o fim da 4ª temporada, e abriu possibilidades da série conseguir se superar com essa 9ª temporada. Por esse início podemos dizer que a série está conseguindo isso.

Com sua 3ª melhor première até agora (atrás apenas da 4ª e 7ª), a trama mostrou como pretende seguir daqui pra frente de forma bastante satisfatória. Respondendo algumas coisas em detalhes (A queda dos anjos foi uma chuva de meteoros, Crowley está no porta-malas, etc.) os roteiristas optaram por focar em seus 3 protagonistas e na trama que cada um desenvolve.

Começando pela trama que foi a “menos boa”, vimos Sam enfrentando uma batalha sobre tentar continuar lutando pela vida ou abandonar tudo e abraçar a morte como uma velha amiga. Nisso revemos Bobby, representando a vontade de Sammy de parar de lutar, e Dean, representando o oposto. A disputa entre ambos esses lados foi interessante de se ver, mas o que me impressionou foi perceber que Jared Padalecki estava entregando um trabalho acima de sua média e conseguiu até imprimir certa carga dramática, coisa que eu não vi nem quando o Dean morreu na 3ª temporada.

Apesar de que, ver a dinâmica entre os dois lados da mente do Sam e ver o Jared entregando um bom trabalho seja ótimo, o melhor dessa trama foi rever o Caveleiro Morte. É incrível ver que o ator consegue transmitir o quão poderoso o seu personagem é, e que ainda consegue construir uma áurea de mistério para o personagem, mesmo que o público já o conheça há certo tempo. Não sei se isso me dá vontade de vê-lo mais vezes, pelo seu ótimo trabalho, ou de querer que ele apareça raramente, para que cada aparição seja tão climática quanto a anterior.

Assim como Dean projetado pela mente de Sam, o Dean verdadeiro estava lutando para fazer com que o irmão voltasse à vida, mas enfrentou certos problemas antes de conseguir isso. Para começar, ele tentou contatar Castiel através de uma oração, mas ao invés de conseguir uma conversa privada, o sinal da rede vazou e toda a rádio angelical pode ouvir esse pedido, o que pôs tanto Cas quanto Dean em perigo.

Dean recebeu a visita de anjos querendo saber a todo custo onde estava Cas, contudo dentre eles estava Ezequiel e, pelo que deu para entender, é um antigo colega de Cas que estava lá para realmente ajudar Dean. Não sei, desconfio bastante disso, pois apesar de já ter gostado imediatamente do personagem, vejo nele uma vibe “Ruby-Angel”, uma sensação de que os roteiristas tentarão nos fazer acreditar nas intenções dos personagens por muito tempo, até ele mostrar sua verdadeira face.

Mesmo com desconfianças, é fato que o anjo, até agora, ajudou os irmãos e agora está no corpo de Sam, tentando curá-lo como um receptáculo. Mais uma vez devo elogiar Jared (ou ao menos não falar mal), pois ele conseguiu competentemente usar os mesmos trejeitos do ator que estava atuando como receptáculo de Ezequiel anteriormente, mesmo que ainda tenha sido um tanto canastrão.

Terminando a review falando da parte mais interessante, Cas estava sem sua graça (sem trocadilhos, por favor) e perdido pelos EUA, sem nenhuma noção sobre onde estava e qual seria seu próximo passo. Foi divertido ver o anjo “aprendendo” a como viver sem os poderes que sua graça oferecia, um dos melhores desses momentos foi aquele onde ele pede para o moço desligar o telefone público para que ele possa fazer uma ligação, foi hilário! Misha tem uma boa veia cômica e seria ótimo vê-lo em uma comédia futuramente.

Nesse meio tempo Cas encontra April Hael, um dos anjos caídos que querem se vingar de Castiel por ele ter “ajudado” para que isso acontecesse. Mas antes dela revelar isso teve todo um teatrinho chato e aborrecido de “eu estou com medo de viver na Terra sozinha”, “sou um anjo carente”, “mimimi”… Um porre só, mas isso só serviu para nos mostrar que a perseguição contra Cas não irá acabar tão cedo e que Hael era um dos menores problemas que ele poderia ter, pois deve vir coisas muito piores por aí.

Terminando o episódio sem um grande cliffhanger, como já é de praxe, a série teve um ótimo início e apenas reafirma o potencial dessa temporada se tornar uma das melhores, ou até a melhor da série. Espero que isso se concretize.

 

Observações:

– April morreu sem ter tempo de perguntar onde estava a Rebekah #Crossover #TVD;
– Vi umas pessoas comemorando a cena do Cas sem camisa. People, get a life –q;
– Será que veremos Bobby e Morte novamente?;
– Quem está ansioso para ver a Charlie e Abaddon diz eu;
– Por onde anda o Garth? O cara nunca mais apareceu na série;
– Segue abaixo a promo do próximo episódio:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s