Revolution 2×01 – Born In the U.S.A

Revolution - 2x01

Revolution voltando e perdendo a identidade

Após o término desse episódio, formou-se na minha mente a imagem de um espectador estadunidense desavisado, ligando sua TV na NBC, e dando de cara com essa première imaginando se tratar da estreia de um novo drama do canal. Imaginei isso porque, tirando os personagens, tudo em Revolution mudou. Parece muito mais uma “Series Première” do que uma “Season Première”.

Ao final de sua irregular primeira temporada, a série terminou com um gancho interessantíssimo e que tinha bastante potencial. Aqui, a série volta atrás na decisão de religar a energia e recomeça quase que do zero. Se antes permeava o clima de aventura com toques de sci-fi, agora vemos um drama denso com ares de fantasia.

A proposta de fazer uma grande mudança estava clara desde o final da temporada passada, afinal até o criador da própria série não sabia sobre o que ela era de fato. Mas, a meu ver, essa mudança foi brusca demais, prejudicando sua própria continuidade, já que pouquíssimas relações foram feitas entre esse episódio e o que vimos anteriormente (Danny e Nora sequer foram citados!). E, por mais que ela precisasse de alguns ajustes, abandonar quase todas suas características (inclusive as boas) é um tiro no pé, pois por mais irregular que ela tenha sido na temporada anterior, nós chegamos aqui pelo que ela tinha apresentado.

Como nem todas as mudanças foram pra ruim, citarei algumas que realmente me agradaram. Por exemplo, na temporada passada me incomodava bastante os personagens viverem num mundo sem energia e andaram com a aparência impecável, aqui elas estão sujas, mal cuidadas, com uma aparência que faz jus a situação em que vivem… Ponto para a série. Além disso, posso falar que, se antes a série não tinha um objetivo, agora tem um para cada personagem. Mais um ponto para Revolution.

Falando nos personagens, eles agora são bem mais importantes, já que a série apostou pesado no drama e está se apoiando neles, o que causa alguns acertos e erros. Começando pelos erros, focar em Monroe e Charlie, os dois atores/personagens mais fracos e irritantes da série, no mesmo núcleo foi o mesmo que dizer “público, queremos que vocês sofram”. Sério, se eu fosse fazer alguns ajustes para a melhora da série, a primeira coisa que eu faria seria eliminar estes dois.

Num nível mais médio, posso falar de Esposito e de seu Neville que ficaram com a parte política da história e faço votos de que ele consiga aparecer e mostrar todo o seu potencial como ótimo ator que é. Aliás, essa parte política da trama é a que mais me interessa e tenho grandes expectativas para ela, espero não me decepcionar. Não citei Jason/JD Pardo porque objetos cênicos não merecem importância.
Chegando à parte que foi mais bem aproveitada neste “piloto”, temos o núcleo formado por Aaron, Rachel e Miles. Repleto de mistério, os três estão morando em uma das aldeias/vilas formadas após a rápida religação da energia (que retirou do mapa as cidades que receberam os mísseis de presente).

Rachel continua com aquela atmosfera de que sabe muito e pouco diz, e isso é bastante irritante, mas Mitchell consegue anular quase completamente isso, defendendo sua personagem com certa competência. Miles continua sendo o badass ninja que era na temporada passada, porém parece ter sido afetado por algo, que particularmente acho que seja a morte de Nora, mas pode ser um acontecimento pós religação de energia que ainda não vimos.

Em Aaron reside a mudança mais gritante na série. Não no personagem em si, que continua a ser aquele “nerd” que conta com o apelo popular dos fãs da série, mas em seu núcleo, que mostrou um lado mais místico, mais fantasioso aqui. Começando por sua companheira, uma mulher que parece doce e com um passado nebuloso. Estou curioso para saber como eles se conheceram e mais ainda para saber o nome dela (ou falaram e eu perdi?).

Com Aaron ainda vieram os vagalumes, que apareceram e desapareceram misteriosamente. Seriam eles uma alucinação coletiva (afinal sua companheira também viu)? Um sinal? Por que eles seriam tão importantes para a temporada? Podem ser tantas coisas e nenhuma abertura nos foi dada para podermos formular uma teoria.

Os personagens novos não me chamaram tanto a atenção aqui e prefiro comentá-los mais a fundo nos próximos episódios. Mas deixo registrado que o grupo que atacou a vila onde Aaron estava me despertou certa curiosidade, quero logo saber quais são os objetivos deles.

Terminando com mais perguntas que respostas, esse foi um episódio consistente (talvez o mais consistente da série), mas uma fraca première, pois peca por tentar esquecer o que fez na temporada passada e apostar e uma renovação brusca. Espero que ela se reencontre logo, senão será difícil para eu continuar acompanhado a série.

Observações:
– Não citei a “morte” e ressurreição de Aaron, pois deixei para falar disso na próxima review;
– A audiência desse retorno foi a mais baixa da história da série, não acho que ela será cancelada agora, aposto numa mudança de dia para a próxima fall season;

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s