Review: Beyoncé – I Am… Sasha Fierce

I Am.. Sasha Fierce

Após o bom B’ Day, não tinha como não ter boas expectativas para o 3º álbum de estúdio da carreira solo de Beyoncé. Eis que, em 2008, é lançado este novo álbum, intitulado de I Am… Sasha Fierce, que conseguiu elevar ainda mais a qualidade do trabalho dessa artista.

Dividido entre “I Am…” (que aposta mais nas letras e na voz da cantora) e “Sasha Fierce” (com músicas mais animadas e menos preocupadas com os aspectos supracitados) o álbum poderia soar didático demais e pouco natural, o que felizmente não ocorre, pois, apesar de os dois lados deste exemplar serem bem diferentes, eles conseguem dialogar de forma quase perfeita entre si.

“I Am…” já inicia com If I Were a Boy, ditando qual será o tom dessa 1ª parte. Mesmo que a canção tenha uma letra bem trabalhada, a sua força encontra-se na voz de Beyoncé, que consegue imprimir bastante emoção àquela história contada. Mas o maior destaque desta parte vai para Halo, que exerce um impacto quase instantâneo no ouvinte, conseguindo que, por pouco mais de 4 minutos, ele embarque em toda aquela atmosfera que a música propõe.

Ainda nesse lado, Broken-Hearted Girl e Ave Maria conseguem satisfatoriamente continuar neste tom e nível de qualidade. Mas nem tudo são flores aqui, Disappear e Satellites não tem força ou impacto algum e ainda ficam mais apagadas diante de músicas como as citadas acima.

Já em “Sasha Fierce” Beyoncé nos diverte (e se diverte) com músicas como Single Ladies (que inicia a 2ª parte do álbum) e Diva. Por outro lado temos faixas como Radio, que é bem esquecível e genérica, e Sweet Dreams, que apesar de combinar bastante com a proposta desse segundo lado e funcionar muito bem nele, é uma música bem fraca se analisada separadamente. Ainda nesse lado tem Video Phone encerrando o álbum e aqui vemos uma situação inversa a de Sweet Dreams, pois a música é boa se analisarmos separadamente, mas soa deslocada na proposta do álbum.

Com uma Beyoncé bem diferente dos outros 3 álbuns, a artista entrega seu melhor trabalho até agora e consegue, mais pela proposta do que pelas músicas em si, entregar um dos melhores exemplares do R&B da década.

Nota: 8/10

Observações:
– Essa review foi publicada hoje porquê, em um torneio feito no grupo do facebook Hit Parade Brasil – Jovem Pan, I Am… Sasha Fierce recebeu o título de “Melhor álbum dos anos 2000” e essa review faz parte da “comemoração”
– Apesar de ter dito que os álbuns dialogam muito bem entre si, Acho muito brusca a mudança do “I Am…” para o “Sasha Fierce”, uma escolha perfeita para essa transição seria Ego, que infelizmente só se encontra na versão deluxe do álbum.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s