Review: Grimm 2×13 – Face Off

Grimm - 2x13

Após um hiato no maior estilo “minha vida acaba, mas o hiato não”, Grimm está de volta me fazendo pensar que eu gosto mais da série do que eu achava.

Continuando com o ritmo ágil que adquiriu na primeira metade dessa temporada, Grimm retorna desenvolvendo muito bem todas as tramas, construindo uma atmosfera climática que está a todo momento anunciando um acontecimento trágico e/ou grandioso que está me deixando com altas expectativas para essa segunda metade da temporada.

Expectativas que começaram a ser atendidas nesse episódio que, pra começar pela trama mais boba e mais fofa (e menos importante, diga-se de passagem), teve Rosalee e Monroe se reencontrando em mais um dos vários momentos cutes deles. Não sou de ficar torcendo pra casal em série (vulgo, “shippar”), mas os atores são tão simpáticos, defendem seus personagens com tanta competência e tem uma química tão forte que fica difícil não torcer pelo casal.

Indo para as tramas principais tivemos a continuação do triângulo Nick/Juliette/Rennard que está sendo o fio condutor da temporada até agora, e falarei de cada dupla separadamente, começando pela menos interessante: Nick e Juliette.

Primeiramente, Nick e Juliette não tem e nunca tiveram química o suficiente para nos fazer torcer pelo casal, então um conflito entre os dois é de efeito quase nulo no espectador. Mas o mais importante é que a relação do casal nessa temporada está sendo tratada de forma tão chata e redundante que me surpreende o fato de não atrapalhar significantemente a série em si. Ainda bem que esse drama parece estar chegando ao fim.

Em uma interação bem mais interessante, Juliette e Renard estão sofrendo os efeitos do feitiço de Adalind de forma gradual, o que começou com um selinho para acordar a Bela Adormecida, agora virou uma relação selvagem, e bota selvagem nisso! Em uma sequência divertidíssima que mostrou os dois entre tapas e beijos (e tiros), vimos que o feitiço tem consequências mais complexas do que aparentava inicialmente.

Antes tratava-se de uma paixonite semi-obsessiva, mas essa paixonite foi alimentada e está se tornando um instinto assassino. Admito estar curioso para ver como os roteiristas abordarão este assunto caso ele não se solucione no próximo episódio, o que acho bem provável.

A parte mais interessante desse triângulo é, sem dúvidas, Nick e Renard, afinal os dois trabalham no mesmo lugar e ambos estão envolvidos até o pescoço tanto com esse triângulo quanto com a mitologia da série, então tinha altíssimas expectativas para o confronto entre os dois e, honestamente, foi decepcionante.

Deveria ter sido épico, uma disputa mais mental do que física, mas não, fizeram um duelo físico bastante mal coreografado, pontuado por diálogos expositivos bastante desnecessários, fora o fato desse confronto se passar no lugar do 1º caso que Nick teve ajuda do seu lado grimm ser dispensável, apesar de trazer certa nostalgia. O resultado desse duelo vergonhoso foi que, aparentemente, formou-se uma parceria entre os dois.

Alguém acredita nesta parceria? Alguém acredita mesmo que eles não se enfrentarão novamente? Eu tenho certeza que não. Os dois só decidiram deixar as diferenças de lado para poder acabar com um inimigo em comum. E esse inimigo em comum em ninguém mais ninguém menos que a bitch-mor da série: Adalind.

Ah, Adalind! Meu amor por você é tão grande que quero que Grimm mude de nome para “Ex-Hexenbiest” só em sua homenagem, e nesse episódio meu amor por ela só cresceu. Não basta sair da cadeia com cara de mocinha indefesa da novela das 18h, tem que mostrar o porquê de merecer o título de bitch-mor da série ao usar o apetite sexual de Renard a seu favor, e ainda praticamente exigir que ele encontrasse a chave-mapa de Nick e entregasse o objeto a ela. Mas o fato mais interessante dessa cena foi o fetiche dela de querer ver o lado hexenbiest do capitão só para matar saudades dos bons tempos em que era uma wesen.

O resultado desse encontro não poderia ser melhor, Adalind está grávida! E com direito a um riso cheio de segundas intenções ❤ !!! Como não amar essa vadia gente? Estou (e creio que todos estejam) bastante ansioso para ver o desenrolar deste plot, mas o melhor é que Adalind é tão bitch que nem tenho ideia como ela vai se aproveitar disso.

Deixei para falar sobre a mistura que Nick tomou para o final porque é visível que nada de ruim vai acontecer com ele, como é bem possível que essa purificação resulte em nada com coisa alguma, deixando assim um cliffhanger funcional, mas de carga dramática quase nula.

Com um episódio que ficou levemente aquém das minhas expectativas, a série prepara o terreno para a segunda metade da temporada, que promete levar o nível de competência da série para níveis altíssimos. E, se continuar nesse ritmo, é bem provável que cumpra essa promessa.

Observações:
– Aquele wesen que abriu o trailer para Renard é um Scharfblike, uma criatura semelhante a uma coruja que tem uma visão bastante poderosa, como pudemos ver constatar aqui. A criatura foi mencionada no websódio da série “Bad Hair Day”;

– Hank tão avulso quanto o Wu nesse episódio;

– Já estou com saudades da mamãe grimm;

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s