Review: Supernatural 8×01 à 8×06

Supernatural nunca esteve tão divertida.

Grande parte das sinopses da série a classificam como “terror”, mas quem acompanha sabe que a série nos faz rir mais do que assusta (se eu tiver levado 3 sustos durante toda a série, já foi muito) e esse humor presente desde os primórdios da série nunca esteve tão forte como nessa temporada. Em 6 episódios a temporada não apresentou tramas espetaculares, nem cliffhangers que nos façam roer as unhas na espera até o próximo episódio, mas toda a diversão que ela proporciona já faz valer a pena continuar vendo a série.

Declaração feita, vamos às 6 mini-reviews dos episódios:

8×01 – We Need to Talk About Kevin

Não tenho outra palavra para definir a premiére que não seja “anticlimática”. O episódio foi competente ao fazer o que normalmente uma premiére se propõe, o roteiro estava bem, os atores também (incluindo Jared e o ator que interpreta Kevin), mas faltou um clima que nos envolvesse com os personagens e com a trama apresentada, foi um tanto frio demais. Isso deve-se a direção de Robert Singer que foi um tanto esquemática.

Indo para a trama que nos foi apresentada devo dizer que ela não me empolgou até agora, pois fechar permanentemente os portões do inferno e trancar os demônios lá é praticamente assinar o fim da série e eu não quero que isso aconteça nessa temporada, quero ser avisado antes para poder curtir os últimos episódios com um olhar diferente (em outras palavras, um olhar nostálgico).

O reencontro entre Sam e Dean mostrou que os dois mudaram bastante, cada um foi para um extremo. Sam foi tentar novamente ter uma vida normal (como se fosse possível) enquanto a cada dia que passava no purgatório Dean tornava-se mais agressivo e, ainda dentro do purgatório, ele conheceu e ficou amigo do vampiro Benny que lhe ajudou a sair de lá, reforçando essa mudança do personagem. Como os dois ficaram/estão em situações extremas, as famosas (e entediantes) DRs dos Winchester ficarão conosco nessa temporada por um bom tempo.

Foi, de longe, a premiére mais fraca da série e o 2º episódio mais fraco da temporada, mas abriu algumas boas possibilidades para essa temporada e torço para que elas sejam aproveitadas.

8×02 – What’s Up, Tiger Mommy?

Este episódio foi bastante superior ao anterior, o que não estava bem na premiére foi consertado aqui. A direção fluiu melhor, os atores estavam mais conectados e o humor típico da série estava muito forte aqui.

Pensei que os roteiristas tentariam dramatizar a relação entre Kevin e sua mãe tendo 90% de chances de tornar essa relação algo chato, mas eles resolvem querer surpreender e apostar no humor para nos fazer gostar da personagem e, ao mesmo tempo, tornar crível todo o amor que ela nutre pelo filho. O sacrifício que ela fez no final mostra que o trabalho foi bem sucedido, pois creio que poucas pessoas não ficaram comovidas ao vê-la vender sua alma para salvar o filho.

Conhecemos Alfie.. Digo, Samandriel um anjo que tentava conseguir a palavra de Deus sobre os demônios no leilão. Samandriel deixou que alguns anjos no Céu ainda creem em Castiel, mesmo que ele tenha cometido os erros que cometeu. É impressão minha ou estou vendo Castiel terminando sua participação na série virando o “rei” do Céu?

Crowley teve uma participação bem mais significante nesse episódios do que no anterior, tentou vender as almas do inferno para fica com a Palavra, tentou vender sua alma, mas no fim acabou sendo o Crowley que nós conhecemos e infrigiu as leis do leilão ao possuir o corpo da mãe de Kevin e conseguindo assim a Palavra. Um detalhe bastante interessante foi que pela primeira vez Crowley mostrou seu “olhar demoníaco” e, para minha surpresa, ele é vermelho e não preto, assim como sua fumaça que fugiu do tradicional.

Todo o episódio resultou em Kevin fugindo com uma Sra. Tran em “coma” e os Winchesters voltando praticamente à estaca zero. Mesmo assim o episódio valeu, e muito, a pena.

8×03 – Heartache

Esse episódio foi um caso da semana com vários erros de roteiro, atuações fracas, resolução forçada… O que é uma pena, pois a trama tinha potencial para tornar-se algo ótimo, mas parece que a equipe da série estava com preguiça de fazer esse episódio e deixaram sair algo bem aquém do que deveria.

Mas ainda houve coisas positivas como o humor presente e a atriz que fez a Sra Holmes realmente conseguiu convencer nos momentos em que apareceu, tornando-se a melhor coisa do episódio. Fora isso, foi um episódio bastante descartável.

8×04 – Bitten

Bitten tornou-se o episódios mais controversos da série desde a season finale da 5ª temporada. Muitos amaram, muitos odiaram. Eu pertenço ao 1º grupo.

Não sou e nunca fui fã de usarem o estilo documentário em filmes de terror, à exceção de A Bruxa de Blair nenhum filme do estilo recebeu minha aprovação. Então fiquei com um pé atrás ao ver que Supernatural faria um episódio nesse estilo. Mas, ao invés do desastre que eu pensei que viria, vi um ótimo episódio da série e já tem um destaque dentre tantos casos que a série já mostrou.

Foi bastante interessante acompanhar o episódio pelo ponto de vista da criatura (nesse caso, lobisomens), ver o processo de transformação deles e ver como cada um lidou com isso também foi algo positivo para o episódio. A resolução do caso deixou a desejar, mas não afetou tanto o saldo do episódio como alguns alegam.

Ao sair do lugar comum tanto na abordagem quanto na resolução, Bitten marca seu lugar como melhor filler da série após a 5ª temporada.

8×05 – Blood Brother

Todos sabem que é válido, ou melhor, é preciso se aprofundar em um personagem em determinado momento, mas fazer isso sem sequer nos ter mostrado o personagem é um erro. O episódio não foi ruim, mas acho que deveriam ter deixado esse episódio mais para o meio da temporada, depois de nos apresentar o Benny e nos mostrar como ele é atualmente. O equívoco cometido aqui prejudicou o episódio, pois a trama ficou bastante superficial e acabou por não conseguir transmitir toda a carga dramática que deveria.

Já que o episódio foi sobre ele, permito-me usar uma paragrafo para falar apenas sobre Benny. A chegada do personagem na série foi bastante estranha, confesso que ele ganhou minha antipatia no início, principalmente devido ao tom de voz que o ator deu ao personagem que me irritou um tanto, mas depois de me acostumar a isso fiquei neutro quanto a ele pois ele ainda não ganhou minha empatia e não mostrou ser alguém que acrescente a série. Estou torcendo para que os roteiristas ou façam ele ser mais importante para a série ou tirem-no dela o mais cedo possível.

Agora vamos ao mais importante do episódio: os flashbacks. Pelos flashbacks do purgatório, vimos a relação entre Dean e Benny não era tão harmônica quanto é hoje, também vimos que Dean não abandonou ele lá (ao menos não inicialmente, pois a cena final do 8×02 ainda não permite que nos livremos dessa hipótese) e isso só me deixa com mais vontade de vê-los para saber o que aconteceu. Faço votos de que não demorem até o fim da temporada para nos mostrar tudo que ocorreu no purgatório. Já os flashbacks do Sam são muitos chatos e só serviram para alongar o episódio.

De longe foi o episódio mais fraco da temporada, mas a trama deu um avanço aqui o que não o torna descartável como o 8×03.

8×06 – Southern Comfort

Garth foi uma das melhores adições ao elenco da série desde a 5ª temporada, então é óbvio que eu estava ansioso para revê-lo, mas nunca passou pela minha cabeça que ele seria o novo “Bobby”, como também não pensei que esse episódio seria ótimo.

O caso do ectoplasma foi bastante interessante, e no fim do episódio já estava pensando que a relação entre as vítimas do espectro seria deixada de lado e que o roteiro deixaria esse enorme furo aqui (depois das duas últimas temporadas ando com dois pés atrás quanto à série), mas me surpreendi ao ver a saída que encontraram foi bastante coerente.

Dean foi uma das vítimas do espectro e, além de tentar matar o Sam, “opinou” sobre alguma das decisões do irmão. Depois disso tivemos uma DR entre eles, ou melhor, um Sam revoltz ameaçando matar Benny e praticamente dizendo que o irmão não tem direito algum de interferir em suas escolhas. Odeio essa discussões, não porque não gosto de vê-los separados, mas porque elas são chatas mesmo, no entanto esta aqui foi uma das menos chatas da série.

Mais um bom episódio neste início de 8ª temporada, que parece estar tentando apagar as manchas deixadas pelas temporadas anteriores e espero que consiga pois SPN MERECE um fim digno diante de tudo aquilo que já nos apresentou.

PS: Sim, falar de maneira tão superficial sobre os episódio é ruim, mas só fiz isso para mantê-los “atualizados” sobre minha opinião quanto ao andamento da temporada;

PS²: Se lembram que o vampiro-alfa falou que nos veria na próxima “temporada”? Pois é, estou esperando

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s