Comentário: Jogos Vorazes

Mesmo com um marketing duvidoso, Jogos Vorazes é um entretenimento de qualidade. Spoilers abaixo!  

Para quem não sabe do que o filme se trata, farei aqui um breve resumo. O filme se passa em uma América pós-apocaliptica, que foi renomeada de Panem e dividida em doze distritos. A cada ano, dois jovens de cada distrito, um garoto e uma garota, com idade entre 12 e 18 anos, são escolhidos para um evento chamado Jogos Vorazes, onde os 24 jovens escolhidos disputam pela sua sobrevivência e apenas um sai vivo. Acompanhamos a história do ponto de vista de Katniss, uma jovem que vive no distrito 12 e se voluntaria a ir aos jogos no lugar de sua irmã Primrose que tinha sido sorteada, e com ela é sorteado Peeta Mellark, filho do padeiro e com quem ela teve uma breve “relação” no passado.

Para começar, a história faz várias críticas aos veículos midiáticos, a política e, dentre várias outas coisas, às pessoas subordinadas a esses sistemas, e faz isso de forma subjetiva, sem com que seja o maior foque do filme , mas um atrativo a mais. Como exemplo, temos essas críticas durante a preparação do jovens antes do jogos, quando os mentores aconselham aos jovens o que fazer para ganhar a atenção dos patrocinadores e fazer com que esses os ajudem durante os jogos. Também vemos os exemplos durante os jogos, quando o diretor manipula o evento de várias formas para conseguir os resultados que quer.

A direção de arte acerta ao mostrar o contraste entre o distrito 12 e a capital, enquanto o 1º é mostrado como um pobre vilarejo em decadência, o 2º tem construções grandiosas, luxuosas e bastante exageradas. Os figurinos e a maquiagem acertam ao mostrar o mesmo contraste, mas erram ao deixarem os figurinos e maquiagens usados na capital bastante circenses. Eles acertam tanto nisso que quando vemos Effie sorteando os nomes dos participantes dos jogos no distrito 12, a visão dela nos causa estranheza, tamanho contraste com os habitantes daquele distrito. Os efeitos visuais estão fazendo o dever de casa, você percebe que são feitos em computador, mas não chega a incomodar.

Grande parte do elenco está atuando bem, mas não tem como negar que o destaque vai para Jennifer Lawrence, a atriz constroi uma personagem profunda, crível e sua atuação nos envolve tanto, que chega ao ponto de entedermos as escolhas e ações da personagem apenas pelo olhar, ela é um dos maiores trunfos do filme. Harelson começa o filme como uma caricatura, mas seu personagem ganha bastante profundidade ao decorrer do filme, tanto que depois compreendemos sua postura durante início da película. Donald Sutherland deve ser melhor aproveitado na sequência, mas nesse filme nos mostrou que faz seu trabalho com bastante competência. Bentley deixou o diretor dos jogos simpático demais, e mesmo com suas ações durante os jogos, não conseguiu fazer com que tivéssemos a mínima repulsa pelo personagem. Hensworth e Kravitz foram nulos aqui. Hutcherson me causou indiferença, não senti empatia nem empatia pelo seu personagem, o casal formado por ele e Lawrence só era crível por causa dela, ele tem muito o que melhorar nas sequências que estão por vir. Banks e Tucci estavam no limite da caricatura mas não estavam tão caricatos a ponto de incomodar. Amandla e Willow são bastantes carismáticas e acho que se exigíssemos mais delas, seria uma tolice. Ludwig se saiu bem como Cato, e na única cena que exigia uma carga dramática maior ele deu conta do recado, acho que teria sido melhor se ele e Hutcherson trocassem os papeis (vale lembrar que Ludwig foi cogitado para interpretar Peeta).

Não é uma trama inovadora, e o roteiro deixa muitas coisas em aberto, mas, por mais que isso aconteça, não incomonda, já que a trama tem tantas outras coisas mais importantes e Gary Ross faz um trabalho tão bom na direção, que esses erros são pequenos diantes dos acertos do filme. O trabalho de câmera de Ross foi um dos grande acertos do filme, apostando muito na câmera subjetiva e em closes expressivos nos rostos dos atores (reparem como na maioria desses closes, os rostos dos atores estão de perfil). Uma das coisas inevitáveis seriam os cortes rápidos que sempre se fazem presente em filmes do estilo, mas ao menos em uma cena o uso foi justificado, na sequência dá início aos jogos, se aquela carnificina fosse mostrada de forma crua, seria bastante cruel com o público-alvo, já que a classificação indicativa aumentaria muito e os deixariam de fora das salas de cinema, no restante das cenas foi o mesmo lixo de sempre, muito bagunçado e de difícil compreensão.

Divido o filme em três “partes”, de quando conhecemos Katniss ao início dos jogos, do início dos jogos à morte de Rue e daí até o fim do filme. As duas primeiras partes são ótimas e bastante superiores a última, que se rende aos clichês e acaba caindo na mesmice, mas mesmo assim essa última parte é tão bem trabalhada que e não diminui a qualidade do filme em momento algum.

Embora tenha sido vendido de forma errada, Jogos Vorazes não é aquele entretenimento vazio que muitos achavam, ele tem muito a mostrar. Então veja o filme sem preconceito algum, e curta um bom exemplo de entretenimento de qualidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s