Filmes que vi na semana (25/03 à 31/03)

Para encerrar o mês muito bem, vi dois ótimos filmes nessa semana.

Em Como Se Fosse A Primeira Vez vemos a história de Henry e Lucy, que seriam um casal normal se não fosse pelo fato dela se esquecer de tudo o que aconteceu no final do dia.

Tenho um carinho especial por esse filme, só não sei dizer o porquê. É uma história boba, tem Rob Schneider e Adam Sandler no elenco, vários furos de roteiro, piadas que não funcionam… Enfim, várias coisas que me levariam a odiá-lo, mas ao invés disso eu criei uma paixão enorme por esse filme, e me arrisco a dizer que se eu fosse uma pessoa que se deixa levar pela emoção esse filme receberia nota máxima (mas a minha mente me diz que não devo fazer uma insanidade dessas).

O filme não tem nenhum grande ponto, não tem grandes atuações (Sean Astin e Lusia Strus dão vergonha alheia), um roteiro razoável, mas quando quer, consegue ser bastante tocante. Se não fosse razoável, seria um guilty pleasure, mas como não é, eu apenas o superestimei demais.

Avaliação: 9,5/10

 


As Horas mostra “paralelamente” a história de três mulheres, “paralelamente” porquê elas vivem em anos diferente, em 1929 vemos Virginia Woolf, em 1951 vemos Laura Brown e em 2001 vemos Clarissa Vaughn, cada uma com sua vida e com seus problemas, mas que estão ligadas pelo livro “Mrs Dalloway”.

As 3 protagonistas vividas por Nicole Kidman, Juliane Moore e Meryl Streep estão ótimas, com um óbvio destaque para Nicole Kidman com uma atuação nada menos que espetacular, ela se entregou tanto para a personagem que por vários momentos me esqueci de que estava vendo Kidman em tela e passei a ver Virgínia, e quando uma atuação chega a fazer isso com o espectador é porque está em um altíssimo nível. Moore não conseguiu o mesmo feito, mas está ótima em seu papel e consegue transmitir o que a personagem está sentido com bastante veracidade. Streep está bem, mas isso não é uma decepção, afinal, para uma personagem que não exige tanto quanto as outras, ela ainda consegue chamar a atenção em algumas sequências. Da parte masculina do elenco destaco Ed Harris, que está ótimo, como sempre.

Com uma boa parte técnica e uma ótima parte artística, Daldry controi um filme profundo, tocante, uma verdadeira experiência cinematográfica de qualidade. Recomendo a qualquer um.

PS: Esse mês vi 4 filmes (uma vergonha para um cinéfilo), só fiz a coluna nessa semana porque foi quando vi 2 filmes.
PS.2: Peço desculpas pelos comentários semi-superficiais que faço nessa coluna, mas faço assim para que quando tiver que falar sobre mais filmes não fique muito extenso e enfadonho, e para não atrasar as reviews das séries. Espero que compreendam.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s