Filmes que vi na semana (05/02 a 11/02)

Nessa seção farei um comentário rápido de cada filme que vi na semana. Nessa semana vi Reencontrando a Felicidade, A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, A Rede Social e A Última Música.



Reencontrando a Felicidade (a tradução do título é uma das poucas coisas ruins do filme) nos mostra uma história que fala sobre o luto de forma bem “crua”, não o trata de forma melodramática, mas não esquece que a perda que os personagens tiveram ainda está presente. A direção de John Cameron Mitchell é correta, fazendo com que o principal destaque dos filme sejam os atores, mas isso seria uma opção que levaria o filme ao fracasso se os atores não dessem conta do trabalho, o que não acontece aqui, já que todos estão muito bem e a cada momento conseguem emocionar o espectador de forma verdadeira, sem usar truques apelativos. Destaque para Nicole Kidman que mereceu a indicação ao Oscar, Aaron Eckhart que também merecia uma indicação e Diane Wiest que a cada momento que aparece em cena esbanja talento.

Avaliação: 8/10

A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça apresenta a história de um detetive que só acredita em ciência e razão, até investigar uma série crimes na pequena cidade de  Sleepy Hollow, onde as vítimas tiveram a sua cabeça decepada. A direção de Tim Burton mostra-se bastante inventiva neste filme, tendo ótimas sacadas durante toda a película e conseguindo mesclar com perfeição o clima de suspense com o humor. No elenco, Johnny Depp está ótimo como o detetive Ichabod, mas os destaques ficam para Miranda Richardson e Christopher Walken que roubam a cena quando aparecem.  Mais um ponto positivo é a fotografia bastante acertada de Emmanuel Lubezki que mereceu bastante indicação ao Oscar naquele ano.

Avaliação: 9/10


Em A Rede Social acompanhamos a invenção do Facebook e paralelamente a isso acompanhamos um pouco da vida de Mark Zuckerberg e da vida das pessoas que convivem com ele. A direção de Fincher, apesar de limpa, consegue deixar a sua marca e é uma das melhores coisas do filme. No parte da atuação temos Jesse Eisenberg dando um show como o criador do Facebook, Andrew Garfield tem uma atuação segura e também merece destaque pela sua interpretação e Justin Timberlake (veja só, Justin Timberlake) tem um personagem que também atrai as atenções e o interpreta de forma nada menos que satisfatória. A fotografia e a Trilha Sonora merecem destaque. Com certeza é um dos melhores filmes de 2010.

Avaliação: 9,5/10

E em A Última Música é contada um pouco da história de Ronnie Miller e das pessoas que estão a sua volta. Clichê ao extremo, mais previsível que filme da Xuxa, mais raso que um pires, o filme não consegue emocionar, não consegue te fazer rir, não consegue te fazer acreditar naquela história e nem naqueles personagens (com exceção de Bobby Coleman que está aceitável como o irmão de Ronnie). Enfim, o filme é um erro cinematográfico, que só deve existir para darmos mais valor aos bons filmes que existem por aí. Não recomendo nem a aquelas pessoas que gostam de romancezinhos bobos

Avaliação: 2,5/10

Por hoje é só, mais filmes na semana que vem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s